O Ministério da Defesa informou na noite deste domingo (24) que negociou com as forças militares da Venezuela a retirada de veículos blindados da fronteira entre os dois países.

Em nota, o governo brasileiro informou que, após conversas com o país vizinho, chegou-se à conclusão que a presença do aparato militar na barreira montada pelos venezuelanos é inconveniente.

Neste domingo (24), foram registrados novos confrontos na cidade de Pacaraima (RR), na fronteira com a Venezuela. Um grupo de venezuelanos arremessou pedras e e colocou fogo em pneus na tentativa de cruzar para o Brasil.

Os militares venezuelanos responderam com gás lacrimogêneo e balas de borracha, aproximando-se da linha da fronteira. As bombas atingiram os manifestantes e jornalistas que estavam na região.

O Exército brasileiro retirou manifestantes do local e montou um cordão de isolamento para evitar novos distúrbios. “O Ministério da Defesa intercedeu para que novos incidentes não voltem a se repetir”, registrou a nota oficial.

O governo de Jair Bolsonaro disse ainda que, agora à noite, a situação é de normalidade na faixa de fronteira e que as viaturas que transportariam alimentos e remédios para o país vizinho aguardam em Pacaraima até que seja autorizado o acesso.

O sábado (23) foi marcado por confrontos nas fronteiras da Venezuela com Brasil e Colômbia quando caminhões e manifestantes tentaram romper os bloqueios militares para fazer entrar a ajuda humanitária.